jueves, 18 de marzo de 2010

Pablo Milanés, su herencia

Cuánto costó este cielo,
cuánto la tierra amada,
cuánto alzar la bandera
que inmolarse los vio...




El extremista y el cobarde
van convergiendo en su dolor
mientras el resto con amor
trabaja porque se le hace tarde....


Los siento, Pablito, por más que intentés explicarlo, por más cansancio y confusión, tu propio canto ya nos heredó a millones un mundo.

F.E.

1 comentario:

Penetralia dijo...

Oi, Fabrício. Desde a infância gosto dessa:

Chico Buarque
Composição: Pablo Milanés & Chico Buarque

Esta canção nao é mais que mais uma canção
Quem dera fosse uma declaração de amor
Romântica, sem procurar a justa forma
Do que lhe vem de forma assim tão caudalosa
Te amo,
te amo,
eternamente te amo

Se me faltares, nem por isso eu morro
Se é pra morrer, quero morrer contigo
Minha solidão se sente acompanhada
Por isso às vezes sei que necessito
Teu colo,
teu colo,
eternamente teu colo

Quando te vi, eu bem que estava certo
De que me sentiria descoberto
A minha pele vais despindo aos poucos
Me abres o peito quando me acumulas
De amores,
de amores,
eternamente de amores

Se alguma vez me sinto derrotado
Eu abro mão do sol de cada dia
Rezando o credo que tu me ensinaste
Olho teu rosto e digo à ventania
Iolanda, Iolanda, eternamente Iolanda