martes, 16 de marzo de 2010

David Cruz - Costa Rica

Lázaro al despertar

Todas las cartas rezan mi muerte.
El cansancio de los viejos resucita
y los pelícanos se abrazan
a sus alas rotas.

Mi cuerpo amortajado
es sólo una piedra.
Una barquilla que no logró adivinar
el faro sepultado en la costa.

Hace calor. En mis huesos
se esconde la tristeza bañada en níquel.
Los domadores de serpientes
desarman sus flautas en mis restos inútilmente.

La sonrisa escéptica vocifera
el nombre del que no quiso despertar.

1 comentario:

Penetralia dijo...

Canção de resistência brasileira dos anos 60/70:

Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores
Geraldo Vandré
Composição: Geraldo Vandré

Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Caminhando e cantando
E seguindo a canção...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...(2x)

Pelos campos há fome
Em grandes plantações
Pelas ruas marchando
Indecisos cordões
Ainda fazem da flor
Seu mais forte refrão
E acreditam nas flores
Vencendo o canhão...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...(2x)

Há soldados armados
Amados ou não
Quase todos perdidos
De armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam
Uma antiga lição:
De morrer pela pátria
E viver sem razão...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...(2x)

Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Somos todos soldados
Armados ou não
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não...

Os amores na mente
As flores no chão
A certeza na frente
A história na mão
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Aprendendo e ensinando
Uma nova lição...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...(4x)